11/09/2014

Minha Vida de Colecionador - Parte 4



Uma das coisas que mais me motivou a voltar a ler e colecionar gibis foi o sentimento de nostalgia. Ele era cultivado por mim cada vez que me lembrava de como era bom quando criança ter uma caixinha cheia de revistinhas em quadrinhos. Eram umas 70 (o maior número que tive na época), mas pra mim era como se fosse um mar delas.

Hoje em dia, ainda motivado pela saudade e a má distribuição, isso me faz recorrer frequentemente a sebos. Não físicos, pois na minha cidade quase não tem, mas geralmente virtuais, em busca de edições que valam a pena comprar. Mesmo com pouco dinheiro às vezes encontro como tenho mostrado aqui sempre que faço uma boa aquisição.

Um dilema muito comum que acontece durante as negociações nessas lojas pela Internet é quantas revistas comprar pra aproveitar o frete. De vez em quando isso se torna uma armadilha, pois sempre se gasta mais do que o planejado. Exemplo: fiquei tão maravilhado com a HQ “O Deus Cebola” que o amigo Marcos postou no seu blog Arquivos da Turma da Mônica, que pesquisei rapidamente em sebos virtuais por quanto eu compraria uma edição com aquela história pra tê-la no meu acervo. Por coincidência a encontrei em bom estado pelo valor de R$ 3,00 sendo CEBOLINHA 155 (Ed. Abril, Nov/85). Mas e o frete? Custava R$ 3, 53. No total ela me custaria: R$ 6,53.

Ultimamente fiz uma promessa de economizar o máximo possível com gibis, mas a tentação pra quem gosta é tão grande e a fraqueza maior ainda. Tinha prometido em só gastar com revistas muito baratas, bem abaixo desse valor.

Na última compra antes dessa, cada gibi não tinha me custado mais que R$ 2,00. Isso exatamente porque comprei muitas de uma só vez. Mas quando se compra muitas, às vezes não dá tempo de ler todas e a gente acaba ficando com a leitura das que já tem bastante atrasada. Por isso fico pensando se não é melhor comprar poucas e ler todas do que muitas de uma só vez e não dar tempo de ler.

As que eu ainda tenho pra ler são muitas e aí vai chegando revistas de assinatura... A esperança é de um dia ler todas. O mais importante e cuidar delas pra que não se percam novamente como no passado, quando era criança.

Ah, as revistas que estão em maior destaque na foto são MÔNICA 200 (Ed. Abril, dez/86) e PARQUE DA MÔNICA 69 (Ed. Globo, set/98) faltaram no pacote que comprei no ML conforme penúltima postagem do blog, mas reclamei com o vendedor e ele prontamente me enviou.

Até!

10 comentários:

  1. Pois é, eu também fico pensando nessa de comprar e não ter tempo, ou comprar menos e economizar menos.
    Mas no final das contas, vai de cada um. Eu estou com bastante livros e quadrinhos pra ler ainda, então só vou comprar se for algo que eu queira muito, ou uma promoção muito boa. Ou então mais pro final do ano, quando já tiver lido tudo o que tenho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando se compra muito pra economizar no frete aumenta a coleção, mas o tempo de ler continua o mesmo e o efeito é de acúmulo de leituras atrasadas. Comprando poucas da pra ler sem pensar nas outras que estão na pilha. Por isso decidi també comprar só o que estiver barato mesmo ou aquilo que voê não tem ainda e aparece de repente. Aí não dá pra perder não é? Exemplo: A SAGA DO TIO PATINHAS que está planejada para breve, apesar do formato ser de luxo, mas como eu já tenho, vou deixar passar. Agora se não tivesse, compraria com certeza. Mas é como eu disse no texto, mesmo aquelas que você tem há muito tempo sem ler, com certeza chegará o dia dela! Valeu por comentar amigo. Abraço!perder barriga

      Excluir
  2. Oi Heri, estes dilemas típicos de colecionador, nós enfrentamos mesmo. Aos poucos você pode encontrar o meio termo em todos os aspectos, e achar o ponto ideal para você como colecionador. Cada colecionador tem seu ponto de equilíbrio, e isso é muito pessoal. As vezes, o que é normal para um, é exagerado para outros, então o negócio é seguir sua própria cabeça e fazer o que te trouxer melhor resultado.

    Apenas como exemplo: quem costuma jogar em loterias, como Megasena, Lotofácil,etc... joga toda semana, ou quase todo dia. O dinheiro vai, escorre pelas mãos, em apostas, buscando o prêmio. Passa a vida quase toda nisso...

    Eu penso que, tanto para jogos, como que para coleção de gibis, o dinheiro que a pessoa gasta nisso, não pode de forma alguma comprometer as obrigações familiares da gente. O problema, é que as pessoas tem fontes de renda diferentes, e ganhos diferentes, e o que é caro para um é barato para outro, e por aí vai... Daí, vem as críticas comparativas.

    Mas, resumindo: se estiver bom pra você, siga em frente. A vida é curta, já está passando, e para onde vamos, não levaremos nem dinheiro, nem gibis. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei dessa parte de que "se estivermos gostando, que sigamos em frente"! Eu gosto de ver as revistas chegando mesmo quando sei que não vou ter muito tempo pra ler. Acho que todo colecionador gosta. Você por exemplo: sou fã do seu blog pela espontaneidade dele falar das coisas do dia-a-dia comuns a todos os fãs, leitores e colecionadores de quadrinhos. É um prazer ver a sua alegria quando recebe os seus gibis. Acho que todos nós somos parecidos nisso. É especial o colecionismo e as leituras que fazemos diariamente. Só quem entende é quem gosta também. Isso que você falou sobre o poder aquisitivo é verdade. Pra mim pode ser muito gastar R$ 100 por mês. Pra outros isso não vai prejudicar em nada no seu orçamento. Já pra alguns pode ser impossível. O mais importante mesmo é não comprometermos nossas obrigações principalmente com a nossa família. Mas o que der pra gastar é de lei, pois é algo que nos dá motivação pra gostar da vida e como você disse, ela é curta e depois não vamos poder ler nem comprar mais nada! Obrigado amigo pela visita. Abraços!

      Excluir
  3. O frete desanima mesmo em algumas situações. O ideal é comprar várias q aí compensa um pouco. Se bem q esse gibi do Cebolinha nº 155 não acho q tá caro, mesmo com o frete, tratando-se de Mercado Livre.

    Realmente, tem q ter um equilibrio nas compras da internet, e ver se realmente vale a pena o custo e beneficio. Não prejudicando no orçamento, tudo é válido.

    E fico pensando, o q deve ter de gente q procura em sebos os gibis com as hqs q mostro no blog rsrs... mas a intenção é essa mesma quando mostro em qual gibi se encontra a hq pra facilitar a procura.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comprei dessa vez na Estante Virtual. Realmente não está caro para os padrões estabelecidos ultimamente quando se refere a gibis raros, e o frete também foi barato. Mas foi caro pra o que eu mesmo tinha estabelecido pra mim, ou seja, que só ia comprar revistas baratíssimas. Concordo plenamente com você, a palavra certa é equílibrio. E pode ter certeza, muitos sebos ganham dinheiro por causa do seu blog. Rrsrs. Abraço amigo!

      Excluir
  4. Nunca comprei nada em Sebos virtuais. Na minha cidade tem um Sebo que até possui uma quantidade legal de gibis. No mais, tenho tanta coisa que ficou da minha infância que no momento tenho evitado comprar, hehehe!
    Ah, não consegui ir no Correio ainda, aqui no Sul resolveu chover e isso me atrapalhou um pouco. Mas tuas revistas logo estarão aí...rs
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recorro muito a sebos na Internet porque na minha cidade não tem mesmo. Se tivesse, acho que viveria neles! Rsrsrs. Quando chove os planos são atrapalhados mesmo, mas tá tranquilo. Obrigado amiga e um abraço!

      Excluir
  5. Olá! Essa história de gastar pouco é algo que tenho que seguir à risca ultimamente para que o prazer de se ter gibis não acabe virando algo um tanto pesado pra mim e se transformando em alguma outra coisa indesejável. Essa revista da Mônica, de passagem de ano, é a última publicada pela Editora Abril. Eu a tive, assim como tive a agendinha que veio junto, Era muito bacana, eu já a considerava muito show principalmente porque naquela época já era difícil comprar uma Mônica pelo fator do preço... e eu nem sabia que viria a ser a última da MSP em tal editora.

    Tenho tido muita coisa para ler ultimamente, por isso também venho e evitando comprar demasiadamente. Mas, por enquanto, ainda me dou ao luxo de escolher alguma coisa. Acredito que você e eu não estamos sozinhos com essas questões. Mas se o preço é muito baixo e a revista está em um estado muito bom de conservação, penso que você deve aproveitar a ocasião.

    No final das contas, siga o seu coração.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos nós que gostamos de quadrinhos, vez ou outra corremos o risco de gastar demais e aí temos que analisar sempre o que compra e o que não. MÔNICA 200 é a última mesmo, publicada pela Abril e veio com brinde, eles já sabiam com certeza. Também tenho muita coisa pra ler e como tenho assinaturas, vêm chegando mais. Depois que meus filhos nasceram, meu tempo diminuiu bastante e agora, demoro mais a ler as revistas que compro. Mas sempre gosto de aproveitar uma promoção. Obrigado pelo conselho e atenção amigo. Um abraço!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...